CachorroCatsCães e gatos podem fazer tratamentos com cannabis medicinal?

6 de julho de 2022by Michele Leite0
https://vivaosanimais.com.br/wp-content/uploads/2022/07/CANABIS-2.jpg

Tratamentos alternativos para doenças em pets estão, há alguns anos, sendo desenvolvidos. A medicina, mesmo a veterinária, busca, constantemente, terapias para os seus pacientes que, em sua maioria, são cães e gatos.

Para tanto, muitos profissionais estão buscando atualização com o curso de cannabis medicinal que, sim, pode se estender aos pets. Afinal, alguns sofrem com transtornos de ansiedade de separação, estresse, crises convulsivas e, também, cânceres.

Por isso, apesar de ser um tema bastante debatido, os benefícios do uso da cannabis medicinal se estendem, também, aos nossos animais de estimação. É polêmico, mas é um assunto que vale a atenção.

Inseguranças sobre o uso de cannabis medicinal para pets

O tema ainda é bastante controverso. Isso porque a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que fala sobre a prescrição de produtos à base de cannabis para fins medicinais, restringe o uso para humanos.

Em abril, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) divulgou nota pedindo que seus profissionais não emitam receitas com medicamentos derivados da cannabis. Isso porque, para a categoria, a judicialização é o melhor caminho. 

O g1 publicou, recentemente, matéria com entrevistas com especialistas, que dizem que “as substâncias da cannabis são comprovadamente eficazes contra diferentes condições e doenças dos pets: dor, convulsões, câncer e cinomose, entre outras”.

Ou seja, ao passo em que há a comprovação de que o uso de cannabis medicinal para pets faz bem, é necessário que se aguarde a liberação para a utilização da substância, com o objetivo de mitigar as possibilidades de problemas jurídicos.

O assessor da presidência do CFMV, médico e advogado, Rodrigo Montezuma, a recomendação “busca a proteção dos profissionais de serem enquadrados pelo artigo 33 da Lei de Drogas – a prescrição pode render de 5 a 15 anos de prisão”.

Tutores dos animais se juntam pela causa

Junto aos médicos veterinários, entraram na luta pela utilização de cannabis medicinal para cães e gatos, os tutores dos pets. “Meu chihuahua tem 8 anos e sobrevive à base de óleo de canabidiol, que necessita da receita de um médico veterinário”, informou uma tutora.

Normalmente, os tutores utilizam produtos à base de canabidiol para tratar problemas de saúde e, também, de comportamento. Alguns animais, por exemplo, são muito agitados. O produto, quando oferecido ao pet, o acalma e oferece uma qualidade de vida melhor.

Além disso, pais e mães de pet podem utilizar a cannabis medicinal para acelerar processos de cicatrização. Seja para cirurgia ou para ferimentos adquiridos durante uma brincadeira, por exemplo, o produto é eficaz.

Existem, inclusive, estudos feitos mundo afora com o objetivo de comprovar a eficácia do produto para o bem estar do animal. O principal desafio, no entanto, é enfrentar as leis brasileiras sobre a utilização de drogas, uma vez que, no País, a maconha é ilícita.

Com essa barreira, a comprovação da eficácia se torna ainda mais difícil, embora o uso da cannabis medicinal não ofereça riscos comprovados à saúde do pet, nem mesmo à saúde humana. E isso é comprovado cientificamente!

Como o produto é aplicado em cães e gatos?

As primeiras pesquisas sobre o uso de cannabis medicinal para cães e gatos indicam que o produto, em forma de óleo, deve ser aplicado diretamente na boca do animal. Assim, seu efeito é mais eficaz, quando comparado a outras formas de aplicação.

Isso porque pesquisadores descobriram que o “sistema endocanabinoide, presente no cérebro e em outras partes do corpo humano, também é encontrado em outros mamíferos, como cães e gatos”

Normalmente, para aplicar cannabis medicinal em cães e gatos, um protocolo Low Dose deve ser seguido. Veterinários que prescrevem o produto para os pets, normalmente, incentivam uma dosagem bem baixa nas primeiras “sessões”.

Dessa forma, garante-se que o organismo do pet se acostume com a cannabis medicinal. “Esse período de introdução deve durar entre cinco e dez dias, podendo se estender caso o veterinário perceba que há necessidade de um tempo maior”, dizem especialistas.  

Barbara Arranz é biomédica, especialista no uso de cannabis medicinal, e informou que a única contraindicação é sobre oferecer a folha para o animal. “Não se deve jamais oferecer a planta para os pets, uma vez que a maconha tem também THC, substância psicoativa”.

Como comprovar a eficácia do uso de cannabis medicinal para cães e gatos

Paralelamente aos estudos que estão sendo realizados sobre o produto, os tutores conseguem comprovar a eficácia do uso de cannabis medicinal observando o comportamento do animal.

Se, por exemplo, o cachorro tiver crises convulsivas e, com a utilização do óleo canabidiol, parar de tê-las, é fácil identificar que a cannabis medicinal funciona.

Entretanto, os organismos animais são bastante diferentes. Enquanto, para alguns cachorros, a utilização da cannabis medicinal funciona, gatos podem sentir efeitos colaterais indesejados, ou vice-versa. Por isso, observar o pet durante o tratamento é essencial.

Somente dessa forma é possível perceber se o organismo do seu animal de estimação se acostumou ou não com a substância. Se a resposta for negativa, o ideal é suspender o uso e, junto ao veterinário, encontrar alguma alternativa.

Além disso, é importante ressaltar que o uso, quando feito da maneira correta, não prejudica a saúde do animal. Nem mesmo aqueles mais sensíveis. Isso porque a cannabis medicinal possui níveis baixíssimos de toxicidade.

Ainda que em cenário adverso, uso de cannabis medicinal para cães e gatos vem se popularizando no Brasil

A Justiça brasileira dá passos curtos, quando comparada a outros países, em relação a sua política de drogas. A maconha, por exemplo, legalizada em diversos lugares mundo afora, é criminalizada de maneira agressiva no país.

Entretanto, mesmo encontrando dificuldades para a obtenção e assinaturas de receitas, tutores de animais e médicos veterinários estão popularizando o uso de cannabis medicinal no Brasil.

Afinal, o principal objetivo da solicitação da liberação é garantir a saúde do pet. Até porque nenhum tutor quer ver seu animal de estimação sofrer por uma condição que pode ser tratada com o uso de uma planta, criminalizada pelo Governo Federal.

Mesmo com os riscos legais, tutores de pets têm buscado o tratamento. Isso porque, entre as opções disponíveis, o uso da cannabis medicinal têm se mostrado muito mais eficientes do que outros métodos tradicionais. Mesmo durante o período de introdução.

O bem estar de seu pet é muito importante para nós!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *