CachorroAnsiedade: Saiba como combater e trazer mais qualidade de vida aos seus pets

15 de dezembro de 2020by advivaosanimais0
https://vivaosanimais.com.br/wp-content/uploads/2020/12/Capa.jpg

 

Se você pensa que só os humanos têm ansiedade, você está extremamente enganado. Os animais também sentem ansiedade. 

A ansiedade é muito prejudicial à saúde, tanto dos pets como dos humanos, caso seja identificada de forma tardia. 

Assim como o ser humano tem sintomas emocionais como a queda de cabelo, que algumas mulheres optam por tomar capsula para crescer cabelo, roer a unha, fadiga etc. 

Os animais também possuem sintomas para que possa ser identificado o quadro de ansiedade. 

Algumas das características da ansiedade canina são: Latido excessivo, falta de apetite, necessidade de marcar território em diversos lugares da casa, até mesmo em seu dono, agressividade, sono excessivo ou falta dele, lamber as patas constantemente, destruição da casa e arranhar portas.

Então ao identificar essas ações do seu pet por toda a casa, como na cozinha planejada com bancada, nos quartos, no banheiro, lavanderia e sala, por exemplo, deve se atentar. 

Lembrando que em fase de adaptação isso é comum, mas quando já se está acostumado, essa prática pode ser um alerta.

O que causa a ansiedade nos pets ?

Há vários motivos que podem desencadear a ansiedade. Para que possa ser evitado, iremos apresentar algumas das causas. 

A sua casa pode ser a coisa mais linda, com Forro acartonado de gesso, uma decoração acolhedora e cheia de brinquedos para seu amigo de quatro patas. 

Apesar de ser o paraíso, cachorros e gatos precisam se exercitar e fazer atividades ao livre, caso contrário isso pode deixá-los ansiosos. 

Outra coisa que ultimamente tem sido bem comum, é a humanização do animal de estimação. Isso se dá por conta do afeto que os donos têm com os bichinhos. 

Então o dono cria o pet como um bebê, levando em uma carrinho de neném, etc. 

Mas isso o afasta de todo o mundo, sendo assim a não socialização, que também é importante para animais, acaba deixando-os ansiosos. 

Outros fatores como a desmama, o transporte, o confinamento em áreas reduzidas, mudança de ambiente e/ou de tratadores e a ausência dos proprietários, também acabam colaborando com a ansiedade dos bichinhos. 

Como tratar?

Ter um doguinho é maravilhoso. Mesmo através da porta, através da 

película de proteção veicular, ele te reconhece e fica com rabo balançando de lá pra cá na maior felicidade. 

Ou quando você chega em casa depois de um dia estressante de trabalho. Você abre o portão e quando entra em casa vê o seu melhor amigo de quatro patas te recebendo pulando tanto que o salto vai até a altura da fechadura para porta de vidro pivotante.

Isso é maravilhoso. Mas quando o seu cachorro fica doente, esses atos automaticamente mudam. Sem essa recepção calorosa rotineira, o sinal de alerta deve ser ativado na mente.  

E para que toda essa recepção volte ao normal, algumas atividades devem ser feitas. 

Assim como os exercícios, como o pilates para coluna, relaxam nossos músculos e nos fazem relaxar e diminuir todo o estresse e toda a ansiedade, o exercício é ótimo para deixar o seu cachorro mais alegre.

É aconselhável que pelo menos uma vez ao dia, seja feito um passeio com o animal de estimação, para que ele possa ver outros animais, sentir um ar fresco,etc. 

Lógico que não são todos que podem fazer esse passeio diário, mas sempre que possível faça uma caminhada com seu melhor amigo e use  palmilha para escoliose para se cuidar, assim você e seu amigos estão seguros e combatendo vários tipos de doenças.

Além da caminhada, os hotéis para cães e gatos, são ótimos para que eles possam ter convívio com outros animais.

Dicas para colocar em prática 

  • Observe as mudanças de comportamento de seu pet;
  • Procure sempre sair com ele para dar uma caminhada;
  • Não afaste ele de seu mundo natural;
  • Deixe que ele faça amigos na rua, eles precisam socializar tanto quanto nós. 

Caso, mesmo após a mudança de hábito, ele continue estressado e ansioso, é orientado levar ele ao veterinário para que o caso possa ser tratado com remédios, se necessário.

E não se esqueça de cuidar de si próprio, assim a brincadeira com seu bichinho fica muito mais divertida.

Lembrando que eles sabem o que sentimos. 

Agora é só ser feliz, você e seu amigo de quatro patas, sem essa doença que é o mal deste século! 

Conteúdo produzido por Business Connection

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *